Karl Fischer

A titulação volumétrica Karl Fischer é provavelmente o método mais amplamente utilizado para 

determinação de água em diferentes matrizes. Consiste na diluição da amostra em metanol, com o reagente de Karl Fischer, que contém iodo, dióxido de enxofre e uma amina. Tanto o Iodo quanto o dióxido de enxofre são consumidos rapidamente na presença de água. O iodo provoca uma mudança de cor que pode ser detectado visualmente. Entretanto, tituladores automáticos podem monitorar a titulação com eletrodos específicos.

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de absorção atômica

Átomos gasosos no estado fundamental absorvem uma radiação eletromagnética oriunda de uma fonte de radiação primária.

Essa absorção pode ser quantificada para determinação de elementos metais, semi-metais e alguns não metais em diferentes matrizes.

 

 

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

Difração de raio-X

Um feixe de raios X incide sobre a amostra, fazendo com que difrate em muitas direções específicas, possibilitando assim a determinação da estrutura atômica e molecular de um cristal.

Pode ser utilizado para caracterização de materiais cristalinos, identificação de amostras, determinação de pureza, entre outras aplicações.

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

DSC

A Calorimetria Exploratória Diferencial (Differential Scanning Calorimetry) é uma técnica

termoanalítica na qual mede-se a diferença na quantidade de calor necessária para aumentar a temperatura de uma amostra e de uma referência, em função da temperatura. As transições de fase ou diferentes reações que ocasionam variações de calor permitem identificar eventos endotérmicos e exotérmicos. 

 

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

Termogravimetria

Tipo de análise térmica em que a mudança de massa de um analito é mensurada em função da temperatura em que é submetido, em uma programação controlada.

Dentre as inúmeras aplicações, destaca-se a determinação da umidade e da volatilidade de uma amostra.

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

​Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

É uma técnica que parte da formação de plasma em altas temperaturas para produzir em amostras nebulizadas, átomos excitados que emitem radiação em comprimentos de onda característicos dos elementos presentes.

As intensidades das radiações emitidas são mensuradas e correlacionadas à concentração.

Esta técnica é comumente utilizada na determinação quantitativa de traços de elementos

(metais, semimetais e não-metais) em diversos tipos de amostra.

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

​Espectrofotometria na região do infravermelho

Técnica espectrofotométrica baseada na absorção dos comprimentos de onda na região do infravermelho.

Essa energia absorvida é capaz de promover estiramentos nas ligações químicas das moléculas.

Permite com segurança a definição dos grupos funcionais existentes em um analito.

 

 

 

 

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível

Técnica espectrofotométrica baseada na absorção dos comprimentos de onda na

região do ultravioleta próximo e visível.

A energia absorvida nessa faixa de radiação permite a transposição de um elétron ocupando um orbital ligante para um orbital antiligante. O retorno à sua posição original pode ser medido e permite assim a identificação de cromóforos na molécula.

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

​Ressonância Magnética Nuclear

Técnica espectroscópica baseada na organização de spins, principalmente de 1H e 13C,

em um campo magnético (B0) e sua posterior excitação por rádio frequência, causando inversão do excesso da população de spin. Os dados obtidos permitem definir os diferentes tipos de 1H e 13C de uma molécula e suas conectividades.

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência

Cromatografia em camada delgada

Processo cromatográfico onde a fase estacionária está aderida a uma placa de vidro ou um suporte de alumínio e a resolução dos componentes de uma  amostra ocorrem pelo equilíbrio do processo de adsorção à fase estacionária versus a força de eluição da fase móvel líquida.

Devido à sua versatilidade é a técnica de escolha para análises preliminares e diagnóstico para a maioria das etapas de marchas químicas tanto para química de produtos naturais quanto para síntese orgânica.

 

 

 

 

Outras Tecnologias:

Cromatografia líquida de alta eficiência

Espectrometria de massas

Cromatografia em fase gasosa

Karl Fischer

Ressonância Magnética Nuclear

Espectrofotometria na região do ultravioleta próximo e visível      

DSC

Difração de raio-X

Termogravimetria

Espectrometria de Emissão por Plasma Acoplado Indutivamente (ICP)

Cromatografia em camada delgada

Espectrofotometria na região do infravermelho

Espectrometria de absorção atômica

Cromatografia líquida de alta eficiência